Jane Goodall

Valerie Jane Morris Goodall, conhecida como Jane Goodall, é uma primatóloga, etóloga e antropóloga britânica. Estudou a vida social e familiar dos chimpanzés em Gombe, na Tanzânia, ao longo de 50 anos. Os seus estudos contribuíram para o avanço dos conhecimentos sobre a aprendizagem social, o raciocínio e a cultura dos chimpanzés selvagens.

Entrevista a Jane Goodall inserida no filme Human de Yann Arthus-Bertrand:

Milhares de pessoas que declaram adorar animais sentam-se uma ou duas vezes ao dia a desfrutar a carne de criaturas que foram completamente privadas de tudo o que poderia tornar as suas vidas dignas de serem vividas e que suportaram o horrível sofrimento e terror dos matadouros. (“The Ten Trusts: What We Must Do to Care for the Animals We Love”, de Jane Goodall, Marc Bekoff – Harper Collins, 2003)

Here we are, the most clever species ever to have lived. So how is it we can destroy the only planet we have? (Jane Goodall)

You cannot get through a single day without having an impact on the world around you. What you do makes a difference, and you have to decide what kind of difference you want to make. (Jane Goodall)

We have the choice to use the gift of our life to make the world a better place–or not to bother (Jane Goodall)

Jane Goodall nasceu a 3 de abril de 1934 em Londres, no Reino Unido. Cresceu no seio de uma família de classe média, em Bournemouth, sul de Inglaterra, e esteve sempre rodeada de animais. Aos 11 anos já dizia que ia viver para África. E assim foi. Aos 23 anos viajou para o Quénia para trabalhar com o antropólogo Louis Leakey.

A paixão de Jane Goodall pelos chimpanzés não surgiu “do nada”. Quando tinha pouco mais de um ano, o pai ofereceu-lhe um chimpanzé de peluche em homenagem a um animal da mesma espécie que tinha nascido no Jardim Zoológico de Londres. Os amigos dos pais alertaram para a possibilidade do brinquedo provocar pesadelos na criança, por ser tão pequena, mas teve um efeito completamente contrário ao esperado.

Em 1960 o antropólogo Leakey, com quem já trabalhava há três anos, enviou Goodall para o Parque Nacional de Gombe, na Tanzânia, para estudar os chimpanzés selvagens daquela zona. Um projecto que tinha como duração seis meses e que acabou por prolongar-se até aos dias de hoje.

Em 1997 Goodall fundou o Jane Goodall Institute, uma organização sem fins lucrativos que actua essencialmente na protecção dos chimpanzés e o seu habitat.

A vida de Jane Goodall já serviu de inspiração para vários filmes e documentários.

Com mais de 25 livros publicados, inúmeras entrevistas dadas à National Geographic, presenças em conferências sobre os primatas e o meio ambiente, Jane Goodall foi considerada uma das mulheres do século XX com mais impacto a nível científico.

Goodall é doutorada em Etologia pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e tem grau de Doutor Honoris Causa em mais de 45 universidades do mundo.

Questionada em 2010 se acreditava em Deus, a antropóloga respondeu: “Não sei quem é ou o que é Deus. Mas acredito num poder espiritual maior. Sinto em particular quando estou na natureza. É algo maior e mais forte do que qualquer outra coisa. Sinto-o e isso é suficiente para mim”

Ao longo dos anos Goodall recebeu mais de cem prémios internacionais pelo seu trabalho desenvolvido com os chimpanzés e pela preservação do planeta como forma de proteger a humanidade.

Actualmente Goodall viaja cerca de 300 dias por ano com um único objectivo: a defesa dos chimpanzés e do meio ambiente. A primatóloga é um dos membros do Conselho do santuário para chimpanzés Save the Chimps localizado em Fort Pierce, na Florida (EUA).

(Fonte: https://sicnoticias.pt/mundo/2017-05-24-Jane-Goodall-a-melhor-amiga-dos-chimpanzes-1)

Jane Goodall Institute

O Jane Goodall Institute é uma organização global de conservação da vida selvagem e do meio ambiente com sede em Viena, na Virgínia. Foi fundada em 1977 pela Jane Goodall. O instituto tem escritórios em mais de vinte e cinco países ao redor do mundo

É missão desta organização:

  1. Investigação não invasiva dos chimpanzés e de outros primatas nos seus habitats naturais e também em cativo, para melhorar as suas condições

2. Educação e sensibilização dos cidadãos, através de diversas iniciativas como o programa ambiental Roots&Shoots, com mais de 17.000 mil grupos em 130 países, que impulsiona os jovens a protegerem os seres vivos e a promover o entendimento entre todas as culturas;

3. Conservação da espécie e do meio ambiente, através do desenvolvimento sustentável das comunidades locais africanas”

A organização com sede em Londres tem 29 escritórios espalhados pelo mundo. O programa educacional Roots&Shoots está implementado em mais de 130 países.

Programa Educacional: Roots & Shoots

fundado em 1991 por Jane Goodall tem o objetivo de reunir jovens da idade pré-escolar à universidade para trabalhar em questões ambientais, de conservação e humanitárias.

http://www.rootsandshoots.org/

Ver:

 

Jane Goodall: O Belo e a Consolação

“JANE”, documentário de Brett Morgen sobre a vida da primatóloga Jane Goodall, venceu na categoria de Melhor Documentário no Writers Guild Awards.

Jane Goodall: “O que nos separa dos chimpanzés”

“O abraço da chimpanzé Wounda”: em 2014 uma chimpanzé fémea que foi devolvida ao seu habitat abraçou Jane Goodall e o vídeo com as imagens desse momento tornou-se viral. Wounda foi encontrada num estado muito crítico mas no final conseguiu recuperar, graças à equipa do centro de reabilitação que o Instituto Jane Goodall gere na República do Congo.

Ler

Quem é Jane Goodall: https://www.nationalgeographicbrasil.com/animais/2018/02/quem-e-jane-goodall

Jane Goodall: como uma mulher redefiniu a humanidade

https://www.natgeo.pt/historia/2019/01/jane-goodall-como-uma-mulher-redefiniu-humanidade